Blog do Led

Iluminação Pública


07,agosto /2011

Ruas e túneis de SP ganham luz de LED

A Rua Maria Antônia – que abriga o Centro Universitário Maria Antonia, da USP, e a Universidade Presbiteriana Mackenzie – e a Praça Vilaboim, repleta de restaurantes na região de Higienópolis, ganharão iluminação pública de LED em 60 dias. Até o próximo ano, mais 16 túneis e passagens devem passar a ser iluminados com LED na capital.

Jose Patricio/AE
Jose Patricio/AE
Ibirapuera. Desempenho da nova tecnologia no parque paulistano será avaliado; a cidade tem 510 mil pontos de iluminação

Atualmente, o Ayrton Senna é o único túnel a usar essa iluminação mais sustentável. A cidade já tem as Ruas do Arouche, Amauri e Avanhandava com LED. Em maio, foi a vez de o Parque do Ibirapuera inaugurar sua nova e mais econômica iluminação. Foram colocados 200 pontos a mais de luz no parque – e, mesmo assim, há uma economia na conta de energia de 20%.

Segundo o diretor do Departamento de Iluminação Pública (Ilume), Paulo Strazzi, o LED vem sendo estudado há dois anos pela Prefeitura. “A tecnologia está em franca expansão, ficando melhor e mais barata”, diz. Os primeiros locais escolhidos são os que costumam ter circulação de pessoas à noite, para que a tecnologia seja testada pela população.

Strazzi afirma que o desempenho no Ibirapuera será acompanhado de perto e, dependendo da avaliação, outros parques poderão ter a iluminação substituída. “O LED consegue reproduzir melhor as cores, definir os contornos e dá mais segurança”, afirma.

Economia. Na Rua do Arouche, dez postes tiveram sua iluminação convencional substituída por luminárias de LED. Antes, as lâmpadas de vapor de sódio duravam até 4 anos, e as novas unidades desse tipo têm vida útil de 11 anos.

Segundo Marcos de Oliveira Santos, gerente de marketing da Osram do Brasil, a economia de energia é de cerca de 40%. Na Rua Amauri, com a substituição das luminárias com lâmpadas tradicionais de vapor de sódio por luminárias de LED, houve uma economia de energia superior a 30%, de acordo com Rodrigo Sobral, gerente de produto do segmento outdoor da Philips.

São Paulo possui 510 mil pontos de iluminação pública, com 560 mil lâmpadas. A intenção é trocar as 260 mil lâmpadas de vapor de mercúrio ainda existentes – uma tecnologia de mais de 40 anos, segundo Strazzi – por lâmpadas de vapor metálico, de vapor de sódio e por LEDs.

Tecnologia mais cara. O grande defeito do LED ainda é o preço. “O preço em geral fica entre 50% e 60% mais caro que a iluminação convencional, mas chega a 100% em alguns casos”, diz o diretor do Ilume. O custo total da instalação de LEDs no Ibirapuera ficou em R$ 4 milhões.

Fabiano Lima, diretor de assuntos corporativos da Philips, dá um exemplo: “A luminária LED RoadStar, para iluminação pública, custa entre R$ 1,8 mil e R$ 2 mil. Uma de vapor metálico fica em torno de R$ 1 mil.”

Uma das vantagens é que a necessidade de manutenção é bem menor. E, apesar de os sistemas com LED responderem hoje por apenas 10% do mercado de iluminação no Brasil, a tendência é de grande crescimento.

Segundo a Philips, houve um aumento das vendas de LED no País de 300%, ao comparar janeiro a maio de 2011 com o mesmo período de 2010. E um incremento de 400%, ao comparar o ano de 2009 com o de 2010.

Pontos turísticos importantes do País, como o Cristo Redentor, no Rio, o Teatro Castro Alves, na Bahia, e a região da Pampulha, em Belo Horizonte, também aderiram ao LED.

PARA ENTENDER

Lâmpada dura até 25 anos

Os LEDs – diodos emissores de luz – não contêm mercúrio nem materiais a base de chumbo e cádmio, que podem contaminar. Além disso, podem ser reciclados. Esse tipo de iluminação consome até 80% menos energia e dura 25 vezes mais que as lâmpadas incandescentes e 5 vezes mais que as fluorescentes compactas. Em aplicações residenciais, podem durar até 25 anos. “As pessoas não terão mais necessidade de trocar lâmpadas”, diz José Fernando Mendes, da Philips. Marcos de Oliveira Santos, da Osram do Brasil, lembra que “a iluminação pública é responsável por 25% das emissões de CO2″. E ressalta que os LEDs são uma opção eficiente, que agride menos o ambiente.


05,julho /2011

Torre da Band na Paulista recebe 30 mil Leds

torre da band na paulista

Torre da Band na Avenida Paulista

O grupo Bandeirantes inaugurou seu novo sistema de iluminação para sua torre de transmissão, que fica localizada na Avenida Paulista, em São Paulo.

Com 212 metros de altura, a torre da Band irá acender toda noite e trará sua nova iluminação com 29,824 LEDs, capazes de formar até 16 milhões de tonalidades. Uma marca luminosa também aparecerá a cada hora completada.
A torre, de 650 toneladas, existe há 15 anos e a reforma, que consistiu em pinturas e iluminação, fez com que a Band anunciasse o equipamento como novo cartão-postal de São Paulo.

A empresa anunciou também que em épocas festivas, como natal, carnaval, ano novo e grandes eventos, a torre terá sua iluminação reprogramada. Os efeitos luminosos podem ser vistos a até 5 quilômetros de distância.